terça-feira, 19 de setembro de 2017

O CHEFÃO DO PETROLÃO!


Com a decisão de hoje (19/09/2017) do juiz Vallisney Oliveira, Lula passa a ser réu em sete ações penais e, em uma delas, o ex-presidente já foi condenado em primeira instância e recorre em liberdade.

Além das sete ações, o petista também foi denunciado em outros dois inquéritos, mas a Justiça ainda não decidiu se ele vira ou não réu. 
Lula também é alvo de outro inquérito, que ainda não foi concluído.

RÉU EM SETE AÇÕES

Ação penal na Justiça do DF por tentativa de atrapalhar a delação de Nestor Cerveró;

Ação penal na Justiça do DF sobre tráfico de influência no BNDES para beneficiar a Odebrecht;

Ação penal na Justiça do DF por tráfico de influência na Operação Zelotes juntamente com o filho Luís Cláudio;

Ação penal na Zelotes, na Justiça do DF, por corrupção passiva junto com o ex-ministro Gilberto Carvalho por suspeita de que editou uma medida provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de recebimento de propina;

Ação penal na Justiça do Paraná, aberta pelo juiz Sérgio Moro, por conta do apartamento triplex no Guarujá (SP) e de armazenamento de parte do acervo pessoal. Suspeita é de recebimento de vantagem indevida da OAS - foi condenado e responde em liberdade;

Ação penal na Justiça do Paraná, aberta pelo juiz Sérgio Moro, por suspeita de pagamento de propina da Odebrecht; envolve a compra de um terreno para a construção da nova sede do Instituto Lula e um imóvel vizinho ao apartamento do ex-presidente, em São Bernardo do Campo;

Ação penal na Justiça do Paraná, aberta pelo juiz Sérgio Moro, por suspeita de corrupção passiva e lavagem de dinheiro sobre a suspeita de ser dono de sitio em Atibaia (SP), reformado por empreiteiras.

DENUNCIADO EM DOIS INQUÉRITOS

Denunciado em inquérito da Lava Jato no STF que investiga organização criminosa, juntamente com outros integrantes do PT, sobre se participou de organização criminosa para fraudar a Petrobras; foi apontado como líder da organização criminosa;

Denunciado por obstrução à Justiça junto com Dilma Rousseff, por suspeita de que sua nomeação foi uma tentativa de garantir a ele foro privilegiado e tirar do juiz Sérgio Moro apurações da Lava Jato contra ele - Supremo mandou caso para Justiça do DF.

INQUÉRITO EM CURSO

Investigado em inquérito que apura se dinheiro recebido de palestras era propina disfarçada.


O Lula e o PT institucionalizaram a corrupção. 
Houve essa criação de núcleos, com divisão de tarefas entre os integrantes, em Estados, ministérios, fundos de pensão, bancos, BNDES, Etc.
Esse modelo foi reproduzido por outros partidos.



REAGE BRASIL!

Fonte: G1 da Globo.

domingo, 10 de setembro de 2017

IMPRENSA PARCIAL GARANTE BRAVATA DESTA CORJA DE MARGINAIS


Por Claudia Wild - Publicado na República de Curitiba em 09/09/2017:
Assistimos a um verdadeiro e interminável filme de terror no lamaçal político brasileiro. A cada anoitecer tomamos ciência de mais um escândalo, uma nova denúncia, ou um procedimento criminal envolvendo a cúpula de marginais que dominou o país.
Lula e sua caterva, a cada dia que passa, mais se comprometem no emaranhado de corrupção e na gama de crimes que cometeram em nome de um conhecido projeto de poder autoritário: o projeto batizado pelo Foro de São Paulo com as bênçãos de ditadores e da escória latino-americana.
Neste cenário, ao invés de recolher-se à sua insignificância – e, eventualmente concentrar-se em sua defesa processual – a súcia ataca o homem que bravamente enfrenta o sistema cleptocrática brasileiro. Falo do excelentíssimo doutor Sérgio Moro.
Muito longe de querer me passar por sua advogada de defesa. Ele não precisaria disso. Hoje seu advogado é seu trabalho, sua competência, sua lisura. Não tenho procuração para defendê-lo, mas os ataques e ameaças nada veladas que este juiz vem sofrendo da malta política brasileira são inadmissíveis, injustificáveis e só mostram como criamos uma máfia intocável que mora nos recônditos do poder brasileiro.
É inacreditável como a imprensa se mantém calada e se dispõe, praticamente, a narrar como inofensiva as investidas sofridas por Sérgio Moro e por sua equipe. Dão voz aos ataques de seus condenados ( ou processados ) e se esquecem de evidenciar os crimes de lesa-pátria por eles cometidos.
Bandidos apresentam-se com a maior desenvoltura e audácia em tribunas, palcos, rádios e outros locais, atacam despudoradamente a justiça brasileira e tudo permanece ignorado.
Recentemente, o baderneiro/incitador de crime, expoente máximo do grupo terrorista denominado MST, João Pedro Stédille, ofendeu e “advertiu” o referido juiz e tudo foi tratado como normalidade; um “exercício da democracia em sua liberdade de expressão “. É esta imprensa covarde e parcial que garante a bravata destes marginais. A indiferença da imprensa ceva a coragem dos canalhas e criminosos, que não respeitam minimamente o Brasil, seu povo e suas instituições.
Um homem que já perdeu completamente sua liberdade para o crime organizado no país. Um homem que não pode mais dar-se ao luxo de levar um filho à escola, ou a ir a um cinema. Para tal precisa de uma legião de seguranças. E com razão! Ele está mourejando contra interesses de criminosos da mais alta periculosidade, que não pensariam duas vezes em impingir-lhe um mal.
É espantoso o silêncio dos jornalistas diante dos mais variados ataques e ameaças dos criminosos perpetrados contra os protagonistas da Operação Lava-Jato, sem que seja feita uma única denúncia contundente acerca destas deploráveis condutas e suas motivações. A imprensa precisa fazer seu papel e mostrar à sociedade brasileira quem são os verdadeiros demônios neste inferno que o país foi transformado.
A República de Curitiba ainda resiste bravamente nadando contra a maré e enfrentando uma poderosa mamparra que não conhece o significado do termo império da Lei e sua aplicação no sistema republicano.
Sérgio Moro e sua equipe fazem mais pelo Brasil – no sentido da informação passada ao povo brasileiro acerca dos criminosos que destruiram o país – do que a imprensa, que se resume a assistir de maneira inerte a quase todas as ofensivas desta súcia, sem apontar aquilo que estão fazendo para intimidar os verdadeiros e honrados homens públicos deste país.
Sérgio Moro, sua virtuosa equipe e os valores por eles representados precisam ser defendidos neste grave momento político-institucional, já que desconhecemos onde começa o crime e termina a República.

REAGE BRASIL!

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

CORRUPTOCRACIA - OS PARTIDOS POLÍTICOS CAMPEÕES!


Os partidos mais corruptos do Brasil, segundo investigações da Policia Federal e denunciada na Procuradoria Geral da Republica, são: PMDB, PT e PP!

Desde que Lula precisou se aliar ao PMDB e ao PP para construir maioria no Congresso para evitar o impeachment (na época do mensalão), começou a funcionar a maior organização criminosa do Brasil. 
O PMDB se aliou a Lula e vendeu seu apoio pela possibilidade de comandar os esquemas da Petrobras. O resultado foi o maior escândalo de corrupção do mundo.

O Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou nesta sexta-feira (08/09) ao Supremo Tribunal Federal (STF), denúncia contra a cúpula do PMDB do Senado pelo crime de organização criminosa no âmbito da Operação Lava Jato.

Janot acusa os senadores peemedebistas Edison Lobão (MA), Jader Barbalho (PA), Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Valdir Raupp (RO), além do ex-senador José Sarney (MA) e do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, de receberem 864 milhões de reais em propinas e gerarem prejuízos da ordem de 5,5 bilhões de reais à Petrobras e de 113 milhões de reais à subsidiária da estatal.



Segundo a acusação apresentada hoje por Janot, a suposta organização criminosa do PMDB do Senado  foi “constituída e estruturada” em 2002, após a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, e passou a receber propinas na Petrobras a partir de 2003, quando o petista tomou posse e buscou apoio de PMDB e PP no Congresso: 

“Em comum, os integrantes do PT, do PMDB e do PP queriam arrecadar recursos ilícitos para financiar seus projetos próprios. Assim, decidiram se juntar e dividir os cargos públicos mais relevantes, de forma que todos pudessem de alguma maneira ter asseguradas fontes de vantagens indevidas”, afirma o procurador-geral da República.

Já escrevi em meu Blog e na minha página (ciro novaes - cronista político) que a lista de abusos do poder econômico é extensa e vimos nos últimos anos no que essas práticas resultaram... no entanto, muitos políticos e parte da mídia, parecem que ainda não compreenderam a mudança de paradigma promovida pela operação Lava Jato, que desnudou todo esse universo de ações criminosas.


REAGE BRASIL!


Fonte: Folha Brasil.




terça-feira, 5 de setembro de 2017

QUADRILHA DO PT DENUNCIADA NO STF - AGORA É OFICIAL


Conforme denúncia de Janot, Lula recebeu R$ 230 milhões em propina já confirmados e Dilma foi beneficiada por propina de R$ 170 milhões!

A Procuradoria-Geral da República (PGR) protocolou no Supremo Tribunal Federal (STF), na noite desta terça-feira (5), denúncia contra integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT), acusando-os de cometer crime de organização criminosa. 
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é apontado como chefe de quadrilha.

Ao denunciar a formação de uma organização criminosa pelo PT no âmbito da Lava Jato nos mandatos presidenciais dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o procurador-geral da República descreveu pagamentos de vantagens indevidas a Lula em valores que, somados, chegam a R$ 230 milhões, como contrapartida a favorecimento de empresas como a Odebrecht e a OAS em contratos. 

Janot descreve Lula como “grande idealizador” da organização criminosa formada no governo federal para desvio de recursos relacionados à Petrobras.

Segundo Janot, Dilma integrou a organização criminosa em questão desde 2003, quando assumiu o Ministério de Minas e Energia a convite de Lula:
“Desde ali contribuiu decisivamente para que os interesses privados negociados em troca de propina pudessem ser atendidos, especialmente no âmbito da Petrobras, da qual foi Presidente do Conselho de Administração entre 2003 e 2010”; disse também que “Durante sua gestão junto à Presidência da República deu seguimento a todas as tratativas ilícitas iniciadas no governo Lula, com destaque para a atuação direta que teve nas negociações junto ao grupo Odebrecht”.

Também fizeram parte da denúncia:  Antonio Palocci, Guido Mantega, Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo, João Vaccari e Edinho Silva, todos participantes dessa mesma Organização criminosa!


REAGE BRASIL

Fonte: Revista Exame.